Um bom provador de cafés especiais traz em si uma combinação de fatores que englobam, dentre outros, dom e treino. O dom remete à facilidade e perspicácia na identificação de aromas e sabores na bebida; e o treino se relaciona com a disciplina e recorrência na execução correta e sistemática da metodologia da prova. E a recompensa por tanta dedicação? O convite para participar de um grupo exclusivo de provadores; e o convite para integrar a equipe de juízes de um concurso de qualidade. 

O Brasil é, sem sombra de dúvida, uma potência global do agronegócio. Líder mundial de diversos produtos agropecuários, dentre eles o café, o País reforça ano após ano a sua competência como produtor, contribuindo para suprir a demanda da população mundial de alimentos, energia e fibras. Nos países desenvolvidos, a população urbana é majoritária, recaindo sobre uma pequena parcela da população, com o auxilio da tecnologia e do conhecimento, a responsabilidade de abastecê-los. Em países em desenvolvimento, o porcentual da população urbana cresce acompanhado do aumento explosivo da classe média, exigindo que a população rural adquira o conhecimento e adote a tecnologia necessária para o aumento da produtividade que irá garantir os alimentos à mesa de todos.

Não é segredo algum que a cafeicultura brasileira passa por um momento único de sua história. Somos o maior país produtor de café que tem discutido nos últimos meses a necessidade / liberação da importação dos grãos da variedade conilon. Por outro lado, a expansão do segmento de cafés de qualidade tem mudado a realidade para muitos produtores e levado a uma ampliação da área plantada de café arábica em alguns municípios, visíveis para qualquer pessoa disposta a percorrer estradas em algumas regiões produtoras.